Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje estou na segurança de meias maratonas e maratonas. Além disso, sou pai de um menino e sou um apaixonado pela mente humana. Aqui e ali também gosto de cozinhar. Falo sobre tudo isso aqui.

Em 2016 era obeso, hoje estou na segurança de meias maratonas e maratonas. Além disso, sou pai de um menino e sou um apaixonado pela mente humana. Aqui e ali também gosto de cozinhar. Falo sobre tudo isso aqui.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
10
Out19

Tens direito a errar, mas não à repetição dos erros


João Silva

Falar sobre isto passou a ser assunto para mim depois de ter visto uma entrevista de uma pessoa que admirei muito no passado e que já não admiro tanto no presente. Trata-se de José Mourinho.

Para o blogue, não é relevante a ideia de ter deixado de gostar das suas qualidades enquanto agente desportivo. No entanto, a dada altura, disse a seguinte frase: "podes cometer erros, não podes é repetir os mesmos". Talvez por me tocarem diretamente, aquelas palavras acionaram logo o alarme da reflexão e da necessidade de escrever sobre isso.

No fundo, concordo, embora tenha uma ou outra reserva.

Se percebes que atuaste mal em determinada situação/fase da vida e consegues descortinar as verdadeiras causas que levaram ao erro, estás no bom caminho para evitar que a mesma falha seja repetida. Por outro lado, podes cair novamente na asneira, embora tenhas aprendido com o erro. E porquê? Porque, não poucas vezes, criamos excesso de confiança em determinada abordagem ou temos fatores psicológicos intrínsecos que nos moldam de tal maneira que não conseguimos soltar-nos das amarras.

A título pessoal, entristece-me olhar para trás, perceber que consigo refletir e identificar bem as causas de determinado problema e, mesmo assim, vejo que comi exatamente o mesmo erro em diferentes fases da minha vida. Um exemplo claríssimo foi o caso da comida. Depois de todo o esforço para deixar de ser obeso quando cheguei aos 18 anos, voltei a cair nas malhas da obesidade daí a um ano, quando entrei para a universidade e não tive maturidade suficiente para controlar o facto de trabalhar numa pizaria ou num hipermercado (mais tarde) durante o curso. Fui ingénuo, paguei a fatura.

Mais gritante do que isso é analisar os últimos três anos e ver que andei sempre no limbo entre o exagero na prática desportiva e a discernimento para abrandar. A sobrecarga foi uma constante e, lá está, foi isolada de forma consciente em determinadas alturas, mas depois voltou, quando baixei as guarda.

Não é desculpa, é um traço característico meu, mas deixa sempre aquele amargo de boca, quando se pensa no que poderia ter sido alcançado sem exageros. Além disso, o travo não é bom quando penso que essa repetição do erro se estendeu a aspetos mais pessoais.

Ainda assim, por muito "Gustavo Santos" que isto pareça, há sempre um novo dia para tentar mudar o rumo das coisas e é meio caminho andado saber o que causa os erros. Depois disso, (só?) fica a falar aprender com eles e não os repetir.

E por essas bandas também se repetem muitos erros? Como lidam com isso?

IMG_20190628_100805.jpg

4 comentários

Comentar post

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub