Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
10
Ago19

Tão próximas na importância, tão distantes na execução


João Silva

IMG_20190517_083004.jpg

Falo do ioga e do pilates.

Tenho consciência de eventuais preconceitos por um homem praticar estas modalidades, mas, como dizem os estimados brasileiros, "tô nem aí".

A verdade é que as duas são distintas e, numa primeira análise, não diria que o eram. No entanto, completam-se e dão-nos muito.

O ioga consite mais num jogo de alongamentos superficiais e profundos combinados com uma respiração pausada. O objetivo é trazer os músculos (e o corpo como um todo) para um estado de harmonia, de equilíbrio. A respiração é feita mais com o estômago e as contagens são pausadas. Normalmente, 10 segundos por exercício. Os alongamentos são feitos em todo o lado e mais algum e dão-nos uma flexibilidade incrível.

Comecei a fazer ioga no início de dezembro de 2018. Não faço todos os dias as versões mais profundas, porque o primeiro impacto no corpo é deixá-lo K.O.. Pelo menos, uma vez por semana faço uma sessão longa e procuro abranger todas as partes do meu corpo. Foi nesta senda que descobri a meditação. Algo que mudou efetivamente a minha vida. Exige abastração e concentração em simultâneo e assenta numa "audição" da respiração. Se inicialmente é uma sensação estranha, depois é algo de incontornável.

Já o pilates é uma fruta mais recente. Já andava com a pulga atrás da orelha e depois li uma publicação do blogue da estimada Luísa Sousa e não resisti. Guardei o vídeo e segui o que lá estava. A primeira vez custou imenso devido à (falta) de sincronização. Depois disso, não quis outra coisa. É uma "obrigação" pelo menos uma vez por semana.

IMG_20190112_085720.jpg

Ao contrário do ioga, o pilates assenta numa respiração mais superficial (feita na zona do peito) e rápida e num conjunto de exercícios que vão fortalecer e tonificar a estrutura profunda do corpo. Atua essencialmente no abdómen e nos glúteos, mas, deixem-me que vos diga, é altamente eficaz. Alguns exercícios já os fazia no meu treino funcional, mas decobri muitos outros e tem sido um excelente desafio, não só por ser aliciante na sua execução mas pelos benefícios. Indiretamente confere-nos maior elasticidade, mas essa é uma função mais a cargo do ioga.

Não faço distinções e gosto destas duas modalidades. Coincidência ou não, tenho notado o meu corpo muito mais resistente, flexível e tonificado. Considerando que não tomo quaisquer substâncias, de alguma coisa deve ser.

IMG_20190112_091912.jpg

 

12 comentários

Comentar post

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub