Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

De novembro de 2016 até agora, passei de 118 kg a 66 kg graças à corrida e à reeducação alimentar. Desde então, o contador vai em 40 provas: 20 x 10 km, 7 trails, 10 meias maratonas e 3 maratonas.

De novembro de 2016 até agora, passei de 118 kg a 66 kg graças à corrida e à reeducação alimentar. Desde então, o contador vai em 40 provas: 20 x 10 km, 7 trails, 10 meias maratonas e 3 maratonas.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

17
Out20

A melhor receita nasce da criatividade


João Silva

IMG_20200731_111521.jpg

 

Foi assim que aconteceu (não, não é a série que prometeu muito e que acabou por ser um fiasco na parte final). Foi mesmo assim que aconteceu.
Na altura do meu aniversário, a Diana decidiu fazer-me um miminho e fê-lo da melhor forma possível: pegou em ingredientes que eu adoro e criou uma verdadeira delícia.
Portanto, derreteu chocolate negro em banho-maria, depois meteu amêndoas sem pele dentro de tâmaras descascadas e, por fim, mergulhou-as no chocolate e levou-as 2 horas ao frigorífico.
Ficou absolutamente divinal. O que eu me deliciei!

IMG_20200731_111455.jpg

 

 

03
Out20

Salamillet


João Silva

IMG_20200701_130112.jpg

IMG_20200701_130018.jpg

 

Sala quê? O nome surgiu de a brincadeira que fiz com o resultado final e com um dos ingredientes utilizados.

Então, o que vos trago aqui é uma receita de salame feito com millet tufado (também dá com arroz tufado).
Basicamente, tosta-se millet tufado a gosto, à parte, levam-se 100 g de chocolate (usei negro) com 1 colher de sobremesa de manteiga de amendoim (também dá com óleo de coco) durante 1 minuto ao micro-ondas.
Mexe-se bem para o chocolate derreter bem e mistura-se o millet nessa taça.
Depois disso, verte-se tudo para cima de película aderente, faz-se um rolo e leva-se ao frigorífico durante 2 horas. Fica divinal.

Sabe bem numa daquelas tardes que vamos ter entretanto pela frente no outono.

03
Set20

Bacalhau à Brás (versão retocada cá em casa)


João Silva

Numa ótica de comer bem e sem recurso a coisas que nos façam menos bem ou a sentimentos de culpa, procurámos adaptar uma das receitas de que mais gostamos cá em casa.
As adaptações são da Diana, a execução é minha: antes de mais, o refogado da cebola é feito com um fiozinho de água. O truque para a levar à amolecer sem fritar é deixar o lume baixinho e ir mexendo, tudo isto, durante uns 3 ou 4 minutos. Depois acrescenta-se bacalhau (ou migas previamente demolhadas, como foi o nosso caso), mexe-se bem até cozinhar e ganhar alguma cor. De seguida, é hora das batatas palha e foi aqui que inovámos mais: cortámos batata em tamanho palha com a mandolina, levámos uns 10 minutos a 200 graus ao forno. Antes de ir ao forno, pincelámos com pouco azeite e sal.
Uma vez misturadas as batatas com os restantes ingredientes, juntámos 3 ovos previamente batidos e temperados com sal.
Fica divinal.

IMG_20200701_202502.jpg

 

02
Ago20

Uma mousse bem simples


João Silva

received_839318933222533.jpeg

Agora que estamos lançados no verão, partilho convosco uma receita a que recorro com muita frequência e que é saborosa bem fresquinha.

A receita não é minha de origem. No fundo, retirei-a do blogue Bebé Saudável da enfermeira Carmen Ferreira.

received_876385996199238.jpeg

Só precisam de três ingredientes: 1 abacate, 1 banana e 1 colher de sopa (ou mais) de cacau.

Junta-se tudo numa misturadora, tritura-se bem, leva-se ao frigorífico (eu deixo 1 hora no mínimo) e saboreia-se como gente grande.

Também dá para gente pequena.

Se o fizerem, digam-lá o que vos parece.

 

 

15
Jun20

Um pão com ares de Deus


João Silva

Há muito que já não vos trazia receitas, o que até me deixou algumas saudades, confesso. 

Na altura da Páscoa e já muito próximo da chegada do Mateus, decidi presentear a minha esposa com uma doçura. A verdade é que não estava a contar provar e acabei por comer um.

Modéstia à parte, ficou um belo produto final. A receita não é minha e foi adaptada em relação à versão original, ela bem mais calórica. 

A autoria da adaptação pertence ao blogue A Pitada do pai é foi muito bem conseguida. Pode ser encontrada aqui:

https://www.apitadadopai.com/versao-saudavel-do-pao-de-deus-d-a-padaria-portuguesa/#wpzoom-premium-recipe-card

 

Em relação à minha experiência na confeção, digo que o fermento químico não precisa de ir ao frigorífico e a mistura pode ser facilmente manuseada sem levedar, porque este fermento é ativado pelo quente do forno. Além disso, no meu entender, 250 g de coco é uma quantidade excessiva. Coloquei 100 e 110 g na segunda tentativa.

 

E este foi o último "desejo" de grávida que realizei antes da chegada anunciada. 

Experimentem e venham cá dizer o que acham e como ficou 😉😁

received_587462735230074.jpeg

 

26
Out19

Domingos de outono são sinal de comida confortável


João Silva

Certo?

Nesta altura já não apetece propriamente comer coisas muito frescas. É preciso "material" potente ou, em vez disso, comidinha gulosa e sem "maldades". No fundo, não há mal em comer outras coisas, estas dicas são apenas alternativas. Eu uso-as com frequência porque gosto muito.

  • Mousse de chocolate no micro-ondas: a receita não é minha, foi tirada da Teresa Guilherme, sim, essa mesma. Basicamente é isto: um cubo de chocolate acima de 70% de cacau (uso de 81%), uma colher de sopa de mel, 1 minuto no micro-ondas, separar uma gema de uma clara, acrescentar a clara ao preparado do micro-ondas, bater a clara em castelo, adicionar e levar novamente ao micro-ondas: 45 segundos fica mouse, acima disso fica bolo. Ambos são uma maravilha;

 

  • Mousse de chocolate de abacate: um ou dois abacates esmagados, 1 colher de sopa de cacau, 1 colher de mel e mexer tudo, levar ao frigorífico umas duas ou três horas e deliciar-se;

 

  • Mousse de chocolate de aquafaba: água de cozer o grão (dá com o de frasco ou com o cozido na hora), bater em castelo, derreter 125 g de chocolate com, pelo menos, 70 % de cacau, adicionar mel ou outro adoçante, levar ao frigorífico e servir;

 

 

  • Guacamole caseiro: abacate esmagado, sumo de 1 lima, sal e pimenta a gosto, mexer tudo, depois adicionar tomate, cebola (uso chalota) e pimento picados aos cubinhos à parte. Em pão torrado fica uma delícia;

 

  • Paté de tremoço: tremoço descascado, quatro dentes de alho, 1 colher de sopa de azeite, salsa picada a gosto, juntar tudo e triturar. Reservar no frigorífico e servir com torradas;

 

  • Batata doce no forno: batata doce assada no forno a 180 graus (demora entre 1 e 2h, dependendo do forno), cortar às rodelas e regar com molho de azeite, cebola e pimento aos cubos fininhos, sal e azeite a gosto. É uma delícia para acompanhar peixe.

IMG_20180823_124425.jpg

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D