Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

24
Set19

Matutino, vespertino ou noturno?


João Silva

IMG_20190806_133945.jpg

As opiniões dividem-se.

Começo por vos questionar: preferem treinar logo de manhã, à tarde ou à noite?

Considerando que há restrições laborais, peço-vos que se manifestem apenas tendo por base os dias ou semanas em que não estão a trabalhar. Ou seja, de forma geral como preferem realizar os vossos treinos?

Ao fim deste tempo todo, já tive a oportunidade de passar pelas três fases do dia. Por uma questão de organização, treino sempre ao início do dia. É mais fácil para depois organizar o meu dia e o meu trabalho.

Quando só podia treinar à noite, gostava muito, porque sentia o "peso" da libertação das frustrações do dia e porque tinha energia (tensão?) acumulada para dar e vender durante o treino. O lado mais negativo era treinar com chuva ou de noite cerrada na altura do inverno. Ainda assim, era agradável.

Treinar à tarde também não é algo de que desgoste. Ou melhor: é bom porque as reservas energéticas estão carregadas e há "material" para expulsar no treino. Por outro lado, não gosto tanto porque prejudica a organização do dia laboral, acaba por retirar fluidez e por dar a sensação de que há uma "tarefa" sempre à espera de ser realizada.

Deixei para último aquele período em que gosto mais de treinar, a manhã. Apesar de, pelo prisma negativo, as reservas não estarem devidamente carregadas e de ainda haver a ressaca do sono, o que confere alguma fraqueza, é uma altura muito boa para trajetos mais longos sem o risco de perder a luz natural. Além disso, a meu ver, a organização do dia é muito mais fácil de fazer.

É certo que, há cerca de um ano, houve alguém ligado à medicina a desaconselhar os treinos logo ao acordar, mas tal prendia-se com a necessidade de deixar o corpo "assentar" um pouco depois de se levantar e não por ser de manhã. Desde que me levanto até sair para correr passam cerca de 30 minutos, o que me dá tempo mais do que suficiente para ter o corpo impecável, sendo que aqui o uso do "impecável" é exagerado, já que são imensas as vezes em que acordo todo dorido dos treinos dos dias anteriores.

E o que dizem os entendidos? De forma mais ou menos unânime, recomenda-se a realização vespertina dos treinos, porque, supostamente, o corpo já terá acumulado energia suficiente para despender sem quebras. 

Fundamental, no meu entender, é que os treinos sejam feitos regularmente em horários semelhantes, criando desse modo uma rotina para o corpo e permitindo que os músculos tenham sempre um ciclo estável de recuperação entre sessões.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub