Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
04
Jun24

À terceira lá acertei


João Silva

Na verdade, a segunda escolha também já tinha sido boa. Só que a necessidade de mais luz e mais alcance fizeram-me procurar um frontal melhor.

Além destes dois fatores, também era importante ter um equipamento que desse para carregar na corrente. 

Com o outro, andava a gastar imensas pilhas.

Assim, lá me decidi pelo Forclaz Trekk 500.

Foi uma excelente escolha, devo dizer. Tem um alcance máximo de 60 metros, quatro níveis de luz para as diferentes situações e ainda permite um ajuste na cabeça. Assim, pode apontar mais para a estrada ou para a frente.

 

IMG_20210717_074157.jpg

 

Para quem, como eu, corre muito de noite e fica sem luz pública (este frontal é também ideal para trail) em alguns casos e pretende uma escolha barata (custava 20 euros), este Forclaz é maravilhoso:

https://www.decathlon.pt/lanterna-frontal-trek-500-usb-id_8602804.html?LGWCODE=3290039;131273;6179&gclid=Cj0KCQjwgtWDBhDZARIsADEKwgM6aatIJiBNDtwoPk83O7UedH0j5zoVF4f_cVFtpTNp-ZR1OeHILVsaAmF9EALw_wcB 

 

05
Fev21

Mais umas no currículo


João Silva

Os últimos meses foram tramados em termos de calçado de corrida. 

Como sempre, escolhi as Kalenji, mas voltei ao passado, já que escolhi o meu número real de calçado. 

Conclusão: um treino de hora e meia e dedos com foles, unhas quebradas e arrancadas. 

Posto este sofrimento, decidi comprar uma gama diferente, claro, com um número acima.

Desta feita, lá me rendi e subi o meu orçamento em 10 euros em relação à gama que costumava comprar. Portanto, das Active passei para as Support

IMG_20201008_132444.jpg

A escolha não me desiludiu em nada. Muito pelo contrário, já que conhecia o tipo de sola e material (tive umas Kalenji Breath iguaizinhas só com atilhos de aperto em vez de atacadores normais). São incrivelmente leves e a cor, meus caros, encantou-me.

IMG_20201008_132434.jpg

Após algumas escolha la difíceis, voltei a ter um "brinquedo" que adoro verdadeiramente. 

25
Nov20

Coleção aumentada


João Silva

A malta da Decathlon deve achar que eu faço coleção das sapatilhas  de corrida deles, mais propriamente da gama Active, e com preços a rondar os 25 euros. 

IMG_20200907_194026.jpg

Pois se acham, têm todos os motivos para continuarem a lançar novas cores. 

Desta vez, fui para um dark blue, condizente com a hora a que saio de casa para treinar.

Podem consultar as características técnicas delas aqui:

https://www.decathlon.pt/calcado-homem-active-azul-esc-id_8559090.html

Nada mudou de umas para as outras. Pelo menos, este já é o meu 7.° ou 8.° exemplar. Em 4 anos.

Não tendo de me explicar, como já disse neste espaço, não compro sapatilhas caras. Não só porque preciso do dinheiro para outras coisas como também porque corro uma média que ronda os 500 km por mês. Logo, estaria sempre a investir forte. Não é suposto, não me posso dar a esse luxo e o dinheiro tem destinatários mais importantes. 

Dito isto, adoro esta nova cor e recomendo inteiramente numa gama baixa de preço. 

12
Abr19

Adeus velhas companheiras


João Silva

Como sou teimoso com estas coisas das corridas e gosto de usar e guardar tudo até à exaustão, há dias fui "forçado" a libertar-me das primeiras grandes sapatilhas que tive para correr em provas.

Foram umas companheiras como não há igual. Começaram por se destinar apenas a trails.

No início, ainda fazia alguns e era preciso ter material que agarrasse bem aos diferentes tipos de terreno. Comprei umas Kalenji Trail na Decathlon. Bem sei que existem mais caras e que existem melhores, mas para que não tem muito dinheiro para gastar nestas coisas e, ainda assim, pretende correr com segurança, sobretudo, em trails, recomendo-as vivamente. 

Eram bastante flexíveis, com um bom amortecimento, "pitons" bem altos e com bom arejamento. O material da parte superior foi tão resistente que só começou a ceder ao fim de 900 km oficiais.

Usei-as bem mais do que esse número de vezes, mas só comecei a registar os trajetos e o calçado na aplicação Runtastic muito "tarde".

Depois de serem usadas nos trails, comecei a encaminhá-las para a estrada, porque corria muitas vezes debaixo de chuva e precisava de algo que agarrasse bem. As típicas sapatilhas de corredor de estrada não têm boa aderência ao piso molhado e escorregam muito. Ainda foram algumas as quedas.

Mas pronto, há uns dias, já depois de as ter usado em 2019 no Trail de Sicó e de ter feito foles nos pés, tive de me render às evidências.

Contem-me lá, vocês sofrem do mesmo mal?

Em que situações se desfazem das vossas sapatilhas velhas de corrida?

 

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub