Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
11
Mai24

Sabiam que...


João Silva

...a melhor altura para uma ressaca muscular é depois de um dia de descanso?

Parece um contrassenso, mas qualquer atleta profissional ou amador (com muita experiência) vos confirmará esta ideia.

Depois de uma sequência dura de treinos (normalmente, em mais de três dias), o corpo recebe um dia de pausa.

No dia seguinte, lá vai o corpo voltar às estrada! E as pernas pesam monstruosamente e os músculos estão rijos e muito doridos. É comum falar-se em ressaca. 

No dia em que tem folga, o corpo entra num ciclo de recuperação, de "refazer" as fibras destruídas no treino e de assimilação dos treinos anteriores. Tudo isto é muito doloroso.

No caso dos ciclistas, por exemplo, isso é ainda mais gritante. Nas provas de três semanas, há dias folgas. Nos dias seguintes é sempre uma incógnita saber se o desempenho será bom, porque ninguém sabe verdadeiramente como é que o corpo vai reagir ao descanso.

IMG_20190708_112512_879.jpg

 

06
Mar24

Sabiam que...


João Silva

...o sono é o melhor ajudante da evolução?

É o agente responsável pela nossa recuperação. Na ótica desportiva, o maior número de horas seguidas dormidas significa um aumento considerável da forma física e mental.

Estima-se que um atleta, mesmo amador, deve dormir um mínimo de 8 a 9 horas para ter o corpo devidamente funcional. 

Sendo honestos, tirando os profissionais, é difícil um amador ter uma vida que lhe permita ter tanto descanso continuado.

No entanto, deve conseguir descansar, porque essa é a forma de assimilar os resultados dos treinos .

Dormir é evoluir!

12
Jan24

Sabiam que...


João Silva

...fazer trote entre séries ou sequências de treinos fraccionados permite usar uma parte do lactato como energia?

Se, no fim de cada série de velocidade ou sequência fraccionada, fizerem o mesmo tempo de intervalo a trote, conseguem gerar mais energia para a próxima sequência.

Como se trata de sequências muito intensas de velocidade, os músculos oxidam e libertam ácido láctico, responsável pelo lactato. 

Até agora acreditava-se que esse lactato só fazia mal. No entanto, se não se parar logo no fim de uma série, esse lactato "imediato" permite que o corpo gere energia e que fique menos trôpego.

IMG_20210606_064812.jpg

 

06
Jan24

Sabiam que...


João Silva

...dores nos tendões podem indicar desgaste das sapatilhas?

Quando as sapatilhas são muito usadas, começam a ceder. Ou melhor, os tecidos rasgam, as colas desaparecem e o amortecimento diminui.

Isso vai levar a um maior impacto do pé no chão no momento da passada, pelo que o corpo vai sentir muito mais o impacto. 

Conclusão: dores fortes nos tendões. Mesmo nos das virilhas.

Portanto, se isso acontecer, toca a trocar de calçado.

IMG_20210319_071805.jpg

 

 

28
Dez23

Sabiam que...


João Silva

... o corpo também pode desenvolver fadiga nervosa depois dos treinos?

Se a recuperação entre treinos não for bem feita, o corpo pode chegar a um ponto em que os músculos não respondem às ordens do cérebro, simplesmente porque já não têm energia suficiente.

IMG_20210814_054127.jpg

 

É, por exemplo, isso que acontece quando chegamos ao fim de uma prova e já nem uma palha mexemos e o nosso cérebro ainda tenta um último pico de velocidade, por exemplo.

Também por isso é muito importante dar descanso ao corpo nos treinos e não exigir de mais.

Ouviste, João?

10
Dez23

Sabiam que..


João Silva

...podem usar sapatilhas de corrida muito gastas nos treinos de séries?

As sapatilhas de corrida muito usadas terão menos amortecimento, é um facto, mas, como treino de séries é de velocidade pura, não há um impacto tão prolongado e massacrante como no caso de um treino muito longo. 

Neste caso, devem optar por sapatilhas que não estejam muito desgastadas nem danificadas.

IMG_20170128_114322.jpg

 

13
Nov23

Sabiam que....


João Silva

...uma coxa com músculo menos desenvolvido promove a fricção da banda iliotibial no joelho?

received_2009092635809989.jpeg

Foi algo que aprendi com a fisioterapia de 2021. 

Uma das zonas mais musculadas do meu corpo é, precisamente, a coxa.

No entanto, o movimento repetitivo da corrida leva o joelho a fletir mais para dentro (falei nisso há mais de um ano, longe de saber que ia parar quase dois meses). Se não houve massa muscular suficiente para afastar a banda iliotibial da zona óssea frontal do joelho, dá-se uma grande fricção da referida banda. 

Essa fricção vai resultar numa grande inflamação, o que, mais dia menos dia, obriga o corredor a parar. 

Um dos problemas que eu tinha era o facto de ter uma musculatura menos desenvolvida na coxa direita. Precisamente a afetada. 

Um dos pontos de tratamento foi precisamente o ganho de massa muscular nessa perna. A síndrome da banda iliotibial tem tendência a aparecer e a solução passa precisamente pelo reforço muscular e pelo repouso.

10
Nov23

Sabiam que...


João Silva

...fazer séries ou treinos fracionados em subidas é vantajoso para o corpo?

Sim, não vou mentir. É uma malha daquelas e não podemos abusar desse tipo de treino. 

Ainda assim, fazer esses treinos em subidas reduz o drop devido à inclinação das subidas. Ou seja, o drop (parte da sapatilha na zona do calcanhar que o afasta do chão) fica mais curto, logo, o pé não suporta o peso do corpo durante tanto tempo porque aterra mais depressa. 

received_1350037845158163.jpeg

07
Nov23

Preocupada e em marcha-atrás


João Silva

Mais uma daquelas situações insólitas graças aos treinos:

IMG_20220319_105500.jpg

Já não quando foi, mas lembro-me que tinha acabado um treino técnico de velocidade muito duro. Para recuperar, estatelei-me no chão junto ao passeio na estrada (pouco transitada) ao lado de minha casa (o que sempre faço).

Há um carro que vira para esse lado, passa por mim... E mete marcha-atrás na minha direção. Levantei-me logo bem assustado... a senhora abre o vidro e pergunta-me se estou bem. Eu disse que estava a fazer exercício físico.

Perplexa, olha para mim e segue viagem...

Mas gostei da preocupação...

31
Ago23

Sabiam que...


João Silva

... a geração de stress é uma forma de progressão na corrida?

Sim! Correr é sinónimo de stress...mas a nível articular e muscular. Neste caso, o stress é muito benéfico para permitir que o corpo se adapte e cresça na corrida.

IMG_20210424_083743.jpg

 

O stress desenvolve. Bem sei que pode ser polémico afirmar isto, mas esta atividade física mexe muito com o corpo.

Qual é o ponto negativo nisto?

É quando o stress gerado é de tal forma intenso e permanente ao ponto de provocar a libertação de muitos radicais livres, a oxidação das células e, consequentemente, a sua destruição.

Por isso é que é tão importante alongar e dar descanso na dose certa ao corpo.

Equilíbrio é, portanto, a palavra de ordem.

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub