Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

02
Jan21

O mês de dezembro como se tivesse sido ontem


João Silva

Na verdade, foi anteontem.

Analisando os treinos do mês de dezembro, uma vez mais, passei os 650 km, desta feita, cheguei aos 685 km.

Em termos de qualidade, foi um mês a lutar contra a quebra de forma e a lidar com os excessos de novembro, entre os quais, duas maratonas.

Screenshot_20201231_072443_com.runtastic.android.j

A juntar a tudo isto (e também para combater tudo isto), iniciei mais um plano específico de velocidade. As verdadeiras melhorias só apareceram na última semana de dezembro.

Screenshot_20201231_072756_com.decathlon.decathlon

Por outro lado, foram as outras três semanas menos produtivas que me proporcionaram as melhoras da última semana. 

09
Dez20

Antevisão de 2021


João Silva

Sem tocar na imprevisibilidade privada, dadas as circunstâncias da Covid-19, em termos desportivos, já pensaram no que pretendem fazer em 2021, caso haja provas com regularidade?

É um exercício dos infernos nesta fase, bem sei, mas, de certo modo, deve ser feito, até porque isso dá um certo alento e propósito a tudo o que vamos fazendo. 

FB_IMG_1574463598979.jpg

Confesso que, primeiro, terei de enfrentar o receio de não ser contaminado numa das provas. Esse será o grande desafio.

Derrubada essa barreira, terei todo o prazer em participar em algumas provas novas. 

Desde logo, gostava de participar nos 15 km distritais em Alba. Além disso, fazer novamente a maratona de Aveiro e a meia maratona da Figueira da Foz. A estas juntar-se-ia a novidade da meia maratona de Guimarães e o GP Bajouca.

Para o primeiro semestre estaríamos conversados. 

Na segunda metade do ano, gostava de voltar ao Bodo em Pombal, à Eco Meia Maratona de Coimbra e de experimentar a meia maratona de Viseu. No mês de outubro, voltaria a participar nas meias maratonas de Coimbra e de Leiria, como forma de preparar a maratona do Porto, único evento que já tenho confirmado para o próximo ano.

Para acabar o ano em beleza, gostava de voltar à São Silvestre de Coimbra e de experimentar a de Aveiro. 

Se acho que farei todas estas? Nem por sombras! Não só por não ser economicamente viável (mais ainda com um filho em casa), mas também por questões de segurança e de agenda.

Acredito, eventualmente, nas duas maratonas e nas duas meias maratonas, que já acontecem em outubro. Se ainda pudesse juntar o campeonato distrital ou a meia maratona da Figueira da Foz, ficava muito feliz. 

No entanto, acredito que, a acontecer, só voltarei a competir em provas em abril, por já ser mais habitual no meu calendário, mas também por uma questão de maior segurança. Não acredito que tudo isto se resolva já em janeiro. 

E desse lado, como se antevê o calendário de provas/treinos? 

 

 

09
Dez20

Antevisão de 2021


João Silva

Sem tocar na imprevisibilidade privada, dadas as circunstâncias da Covid-19, em termos desportivos, já pensaram no que pretendem fazer em 2021, caso haja provas com regularidade?

É um exercício dos infernos nesta fase, bem sei, mas, de certo modo, deve ser feito, até porque isso dá um certo alento e propósito a tudo o que vamos fazendo. 

FB_IMG_1574463598979.jpg

Confesso que, primeiro, terei de enfrentar o receio de não ser contaminado numa das provas. Esse será o grande desafio.

Derrubada essa barreira, terei todo o prazer em participar em algumas provas novas. 

Desde logo, gostava de participar nos 15 km distritais em Alba. Além disso, fazer novamente a maratona de Aveiro e a meia maratona da Figueira da Foz. A estas juntar-se-ia a novidade da meia maratona de Guimarães e o GP Bajouca.

Para o primeiro semestre estaríamos conversados. 

Na segunda metade do ano, gostava de voltar ao Bodo em Pombal, à Eco Meia Maratona de Coimbra e de experimentar a meia maratona de Viseu. No mês de outubro, voltaria a participar nas meias maratonas de Coimbra e de Leiria, como forma de preparar a maratona do Porto, único evento que já tenho confirmado para o próximo ano.

Para acabar o ano em beleza, gostava de voltar à São Silvestre de Coimbra e de experimentar a de Aveiro. 

Se acho que farei todas estas? Nem por sombras! Não só por não ser economicamente viável (mais ainda com um filho em casa), mas também por questões de segurança e de agenda.

Acredito, eventualmente, nas duas maratonas e nas duas meias maratonas, que já acontecem em outubro. Se ainda pudesse juntar o campeonato distrital ou a meia maratona da Figueira da Foz, ficava muito feliz. 

No entanto, acredito que, a acontecer, só voltarei a competir em provas em abril, por já ser mais habitual no meu calendário, mas também por uma questão de maior segurança. Não acredito que tudo isto se resolva já em janeiro. 

E desse lado, como se antevê o calendário de provas/treinos? 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub