Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

De novembro de 2016 até agora, passei de 118 kg a 72 kg graças à corrida e a mudanças na alimentação. Desde então, o contador vai em 35 provas: 19x10 km, 7 trails, 7 meias maratonas e 2 maratonas.

De novembro de 2016 até agora, passei de 118 kg a 72 kg graças à corrida e a mudanças na alimentação. Desde então, o contador vai em 35 provas: 19x10 km, 7 trails, 7 meias maratonas e 2 maratonas.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

15
Jun19

Se começo a resmungar é porque estou a exagerar


João Silva

IMG_20190517_095557.jpg

Dois adjetivos que me caracterizam: resmungão e rabugento. Mas calma, não sou assim todos os dias! Prometo.

E por que razão digo isto numa publicação sobre corrida?

Porque essas duas características sobem aos píncaros quando entro em sobrecarga de treinos, algo também conhecido como overtraining. 

E como se entra nesse espectro negativo da prática desportiva? Para mim, torna-se muito fácil. Porquê? Gosto tanto de praticar desporto, preciso tanto de o fazer e já não imagino a minha vida sem ele, pelo que acabo por fazer asneiras.

Há alturas em que me julgo indestrutível e aumento a carga de treinos sem destino e não tenho noção (ter até tenho, mas não ligo nada mesmo) do mal que estou a fazer ao meu corpo.

Por exemplo, se houver uma semana em que tenha abusado na alimentação, sinto-me tentado a compensar esse facto com treinos, aumentando o tempo de corrida ou fazendo caminhadas intensas ou mesmo sessões de bicicleta estática. Qual é o mal disto tudo? É o círculo vicioso que se forma e a sequência repetitiva interminável que começa logo a afetar o meu humor.

Além disso, em vez de sentir o corpo mais forte, começo a notar dores extra nas articulações, nos joelhos ou mesmo nos adutores e virilhas. Os acordares e os levantares são extremamente penosos, tais são as dores em todo o corpo. De seguida, a vontade de treinar começa a desvanecer. Como sei que esse é um dos sintomas? Porque quando acabo a corrida e ainda tenho de fazer reforço muscular, "empato" muito tempo, como se estivesse a tentar adiar, o que, consequentemente, me atrasa o início do segundo treino e, pior ainda, faz subir a minha irritabilidade. Paulatinamente, sinto a vontade, principalmente, dos treinos musculares a diluir.

Precisamente, o nível de irritações sobe e com coisas tão disparatadas e banais. Pior ainda, sei que estou a passar por essas fases e não consigo controlar esses impulsos.

Consequências de tudo isto: risco grave de lesões e aparecimento de lesões crónicas, saturação de treinos, irritabilidade e mau humor e cansaço.

Portanto, mesmo quando fazem disparates na alimentação ou querem muito treinar, lembrem-se de que o descanso é tão importante quanto um bom treino.

Um aspeto a melhorar na minha evolução.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Alimentação

Separador destinado aos posts de alimentação e a todo o processo de emagrecimento e de reeducação alimentar que me fez baixar de 118 kg par 74 kg desde novembro de 2016.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D