Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

14
Nov21

(Re)equilibrado


João Silva

Gosto de escalpelizar os acontecimentos. Até de mais. Seja como for, gostava de abordar melhor tudo o que fui aprendendo enquanto tentava recuperar da lesão com a ajuda daa fisioterapeutas da clínica Reequilibra, sediada em Coimbra.

IMG_20210929_094840.jpg

Desde logo, as trocas de ideias serviram para reforçar a consciência que tinha do meu problema. Não é um "eu estava certo e a médica de família errada". Nada disso, é mais "eu estava atento e sabia o que se passava comigo."

Depois disso, foram os exercícios de reforço muscular que tive de fazer para ajudar o músculo a recuperar e a ficar mais estável. Ganhei alguns exercícios novos e, acima de tudo, ganhei dicas de correção postural, porque uma boa postura é essencial para não agravar os problemas.

Da mesma forma, ajudaram-me a ter uma maior consciência da importância da estabilidade na corrida. Os nossos músculos estabilizadores são fundamentais. Graças ao pessoal médico, passei a analisar melhor o alinhamento das minhas pernas e a procurar uma postura correta.

Posso dizer que me devolveram o equilíbrio, que me deixaram reequilibrado. 

Acima de tudo, deixaram-me também com muito mais conhecimento e isso é tão valioso quanto a recuperação em si.

Já me conheço, sei que vou passar a integrar estes exercícios no meu treino diário de corrida. E isso é muito bom. Pelo menos, espero que evite as recaídas.

O processo global de tratamento ainda não está terminado, mas agora entrei numa fase de testes, de readaptação à estrada.

Uma corrida de cada vez. E já foram oito. Sem passar os 35 minutos. E sabem que mais?

Custa mais do que fazer 30 ou 40 km. Sim, foi como se tivesse havido um reset na máquina, que, por agora, está a ganhar resistência como das primeiras vezes.

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub