Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

12
Dez21

Como correr 42 km


João Silva

Falar sobre a distância da maratona é algo que me agrada imenso. Este é o tipo de prova onde me enquadro mais.

Antes de falar na melhor forma de a correr, aponto o tipo de corredores para esta distância.

Desde logo, profissionais já bem habituados a estas andanças, depois, amadores com muita experiência no atletismo e conheçam bem o seu corpo, de seguida, atletas que já tenham experimentado pelo menos uma vez o meio fundo (21 km). Os curiosos também podem experimentar, mas diria que devem ter um acompanhamento por parte de alguém que já sabe o que é correr 42 km. Deixo para o fim as pessoas que se querem transcender e que pretendem fazer da maratona uma prova de vida.

Em termos de abordagem, a meu ver, o primeiro passo é respeitar a distância e encará-la como uma barreira, porque o será, embora também seja transponível.

O passo seguinte é adotar um plano de treinos com uma base mínima de 12 semanas para levar o corpo num brinquinho.

Ajuda perceber o tipo de abastecimento que se quer fazer e em que altura da prova.

Em relação às corridas em si, entendo sempre que a maratona é para começar devagar e acabar "depressa" (= bem animicamente).

Uma enorme parte da prova é o lado psicológico. É decisivo acreditar que é possível, mas também é fundamental saber aceitar os sinais do corpo. Este jogo de respeito ajuda imenso. A partir dos 30 km, é só a cabeça que corre.

Não pensar no número de quilómetros em falta também ajuda imenso, pelo menos, a mim. De vez em quando, lá penso que "só" faltam x km. A mim ajuda, mas não o posso fazer sempre.

Por último, ter uma boa resistência é fundamental. O corpo vai precisar dela. E também vai precisar de alegria no que se está a fazer para se chegar à meta.

Seja como for, a chave é a crença de que se vai conseguir

IMG_20190623_062012_248.jpg

 

 

16 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub