Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

28
Jun19

A teoria da relativização


João Silva

Poderia ser uma variante das teorias físicas de Einstein. Só que não é.

Adoro física teórica, mas isto de que vos falo está relacionado com a química...que leva ao equilíbrio do nosso organismo.

 

Uma forma que tenho encontrado para lidar com a pressão que coloco em mim é aprendendo a relativizar tudo o que me acontece em termos de treino.

Quando o meu pico de forma baixou após a Maratona do Porto, tive muitas dificuldades em aceitar que o meu corpo perdeu capacidades. 

Como disse na altura, não soube lidar com as mudanças nem com a ressaca do que me aconteceu ao organismo após a prova.

De lá para cá, à exceção de uma ou outra prova, os resultados foram piorando.

É verdade que uma perda de forma iria aparecer alguma vez.

No entanto, custa. E depois há sempre duas vias: ou se aceita isso e se tenta mudar ou se é absorvido pela ideia de que se perdeu qualidade e não se sai desse buraco.

Felizmente, apesar de ter sido um processo lento e doloroso, escolhi a primeira via. Dentro de mim, sei quais foram as razões que levaram a isso. Também por isso é importante ter uma esposa com quem se possa debater todos estes detalhes. A Diana ajudou-me e ajuda-me a encontrar a causa para esse tipo de problemas. E, além disso, mais importante ainda, contribui imenso para que não deixe que eles me façam perder o equilíbrio, dar-lhes importância amplifica-os e é assim com tudo na vida. Ora, pois, desvalorizá-los na medida certa ajuda imenso a mentar a sanidade mental. Confesso que nem sempre o controlo se mantém firme e hirto, mas aos poucos lá se vai conseguindo. 

O ano de 2019 está a ser péssimo em termos de resultados objetivos, até agora, não consegui nada daquilo a que me tinha proposto no final de 2018. E, a julgar apenas por esse ponto, poderia perder o interesse no desporto. Nada mais errado, principalmente, porque a minha força de vontade não depende dos resultados e ainda porque observar e falar com alguns colegas de equipa me ajudou a ver o outro lado e a aceitar as coisas como elas são.

Não sei se voltarei aos bons resultados, mas sei que não sou um resultadista. Não vou "morrer" por causa disso.

Aprendi a saborear os momentos por que passo e as pessoas com que me cruzo em provas.

É um lado maravilhoso, genuinamente, e isso é tudo o que fica. 

IMG_20190526_090242.jpg

Por agora, importa-me olhar para o meu corpo e ficar satisfeito com o que vejo.

Aumentei muito a minha massa muscular desde novembro de 2016 e sinto-me revigorado, pelo que não posso achar o fim do mundo quando não chego a um determinado objetivo de tempo nas provas.

Faz parte, senão darei em maluco e isso não pode ser.

Aceitar tudo isto, por mais difícil que se afigure, faz-me desfrutar mais de cada momento da minha vida.

Sou competitivo, sempre o fui e não deixarei de o ser, mas sou-o, primeiramente, comigo próprio e procuro olhar sempre para mim antes de poder espreitar para o que os outro fazem. É um dos ensinamentos da minha esposa. Não tenho de me comparar com ninguém, tenho de olhar para mim. Ao fazê-lo, estou no caminho certo para chegar onde quero.

Mais do que pretender ascender ao inatingível porque os outros esperam isso de mim é saber que o primeiro passo para lá chegar é manter o foco no meu próprio trabalho.

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub