Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
13
Nov23

Sabiam que....


João Silva

...uma coxa com músculo menos desenvolvido promove a fricção da banda iliotibial no joelho?

received_2009092635809989.jpeg

Foi algo que aprendi com a fisioterapia de 2021. 

Uma das zonas mais musculadas do meu corpo é, precisamente, a coxa.

No entanto, o movimento repetitivo da corrida leva o joelho a fletir mais para dentro (falei nisso há mais de um ano, longe de saber que ia parar quase dois meses). Se não houve massa muscular suficiente para afastar a banda iliotibial da zona óssea frontal do joelho, dá-se uma grande fricção da referida banda. 

Essa fricção vai resultar numa grande inflamação, o que, mais dia menos dia, obriga o corredor a parar. 

Um dos problemas que eu tinha era o facto de ter uma musculatura menos desenvolvida na coxa direita. Precisamente a afetada. 

Um dos pontos de tratamento foi precisamente o ganho de massa muscular nessa perna. A síndrome da banda iliotibial tem tendência a aparecer e a solução passa precisamente pelo reforço muscular e pelo repouso.

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub