Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
03
Jan23

Um balanço em revista - trails em 2022


João Silva

Que ano o de 2022! 

A todos os níveis. Talvez tenha sido o ano em que mais fui posto à prova e solicitado e não apenas no desporto.

Ainda assim, a dureza do primeiro deu lugar à leveza no último trimestre. E ainda bem. Talvez mais para a frente possa escrever mais sobre este lado pessoal e esta viagem que estou a fazer.

Em termos desportivos, o ano foi muito regular. Mas em bom. Foi mesmo o meu melhor ano. E os resultados 

Em 2022 fiz três trails. Talvez tenha sido o ano em que fiquei a gostar mais, confesso. Ao ponto de, num período de 10 anos, querer fazer uma Ultra. Um belo desafio, mas tenho recursos físicos e humanos à disposição para me preparar.

Em fevereiro, fiz o Trail de Sicó nas calmas, numa ótica de desfrutar e ainda nem sabia muito bem o que era fazer isso em prova. Talvez tenha sido a única em que tive zero interesse no tempo. Foi ótimo, porque conheci o Bruno Silva, meu colega de equipa e que fez a sua estreia em trails. Mais tarde, vim a saber que adora estrada como eu.

IMG_20220227_095436.jpg

No mês de março, tive um belo presente: o meu primeiro pódio numa prova. Fiquei em terceiro lugar no Trail da Bajouca. Foi aqui que percebi que há trails que poso usar a favor das minhas capacidades para conseguir lugares de destaque. Havia partes complexas, claro, mas o trail era rolante, dava margem para correr.

IMG_20220319_111906.jpg

Mais tarde, já quase no fim de 2022, fiquei a conhecer o Casmilo em condições e disputei um trail maravilhoso da organização da minha equipa. Foi um desempenho louco num trail demasiado técnico. Top 30 no bolso e prova provada de que também me safo bem em terrenos difíceis.

IMG_20221126_120013.jpg

Numa análise global, diria que os trails subiram na minha consideração, também pelo facto de ver neles a possibilidade de estar mais vezes com elementos da minha equipa. O que me custa mais é a parte física, o risco associado às provas. Eu não sei ir com pouco, vou com tudo. No último trail, demorei uma semana a recuperar.

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub