Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
29
Jan20

Mais facilmente se transforma em menos


João Silva

IMG_20190716_083851.jpg

Muitas vezes, há o problema de falta de conhecimento. 

Cresci a ouvir: quem não sabe é como quem não vê. Acredito piamente nisso e sou, confessamente, uma pessoa ávida de conhecimento. Como não podia deixar de ser, a minha procura incessante por saber mais sobre o que me interessa transporta-me com muita facilidade para o extremo do conhecimento.
Saber de mais também pode ser um problema.
Obviamente que não sei tudo e nem estou a afirmar isso, mas ter uma grande base de sabedoria em determinados assuntos pode levar-nos a conclusões e a situações de desconforto.
É assim com a comida e sei claramente que isso me inibe de tal forma que me impede agora de comer determinadas coisas. Ou melhor: apagou-me de tal forma a vontade que nem sequer penso nelas. E nem estou a falar de alimentos que me possa ser prejudiciais.
Depois, e era aqui que queria chegar, tenho uma grande base de exercícios de reforço muscular e de treinos. Como não sei lidar bem com isso, procuro, em determinadas fases, fazer tudo, o que culmina em perturbações de desempenho e em angústias e ansiedades desmedidas.
Além disso, quando fico algum tempo sem fazer um ou outro tipo de exercício mais importante, começo logo a questionar-me.
Chego a amaldiçoar muitas vezes o facto de "saber de mais", não porque isso seja mau, porque não o é, mas porque sinto que não sei lidar bem com isso. É uma viola que eu não sei tocar.
Sou assim com algumas coisas na vida e isso acaba por me inibir, porque não corro o "risco" de improvisar. O meu improviso é antecipado.
Seja em desporto ou fora dela, também são assim?

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub