Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
27
Jan20

Sem acomodações mas também sem exageros


João Silva

É a grande moral de toda esta história.

Dizem-nos muitas vezes que temos de sair da zona de conforto e que não nos devemos acomodar.

Tudo isto é muito bonito e muito verdade, mas também é necessário ter cuidado com tudo isso.

Primeiro, é crucial avaliar até que ponto nos acomodámos.

Naturalmente, falo da parte desportiva, mas também se aplica a tudo na vida.

Por vezes, as pressões, as nossas e as externas, levam-nos a fazer avaliações erradas e precipitadas, mas é importante manter a clarividência.

Os estímulos e as mudanças devem ser feitas com um propósito, o de garantir evolução e de nos fazer melhorar. Ao mudar de método de treino/trabalho, não importa, de todo, atropelar processos.

Portanto, se sentirem que o modelo tem dado frutos, aguentem-no mais um tempo e, a espaços, incutam algumas alterações para vos dar estímulo.

Não se mandem logo para fora de pé. A queda vai doer.

IMG_20190813_211034.jpg

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub