Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
02
Set19

Uma boa forma de acabar com a "mania" deles


João Silva

IMG_20190725_150104.jpg

Retomamos a comida no blogue.

Não vou falar de nenhuma receita em particular, mas de uma "descoberta" que fiz.

Ponto prévio: adoro frutos secos, recuso-me a comprá-los já tostados por ter conhecimento de trafulhices com óleos e "injeções" de sal na indústria, pelo que os compro na versão "natural".

Em casa, antes do consumo, e que bem eles fazem em quantidades devidamente equilibradas, tosto-os apenas com o auxílio do calor. Dá-lhes um gostinho maravilhoso.

Há pouco tempo, em conversa com a esposa, decidimos inovar na forma de os preparar, isto porque já tínhamos umas luzes sobre o que fazer. 

Os frutos secos contêm fitatos, antinutrientes que impedem a absorção intestinal de vários minerais como o o fósforo, o zinco, o ferro, o magnésio, o cobre ou mesmo o cálcio. Portanto, a ação destes agentes no nosso intestino leva, em alguns casos, a perdas na ordem dos 80% da disponibilidade dos minerais referidos.

Por conseguinte, é necessário encontrar uma via para melhorar a nossa absorção de nutrientes. 

Antes de prosseguir, refiro ainda que os fitatos também estão presentes em leguminosas, por exemplo. E o que fazemos com elas? Colocamo-las de molho antes de as cozermos.

Ora, no caso dos frutos secos, o princípio foi o mesmo.

Basicamente, colocámo-los numa taça e "regámos" com água (sensivelmente o dobro) e depois deixámo-los a tomar banho durante cerca de 04 horas.

Duplicam (ou triplicam) o seu tamanho e ficam moles. De seguida, deixámo-los a secar em papel de cozinha da noite para o dia. Na manhã seguinte, tudo para dentro de um tabuleiro e ala para o forno. Não sei precisar o tempo em que lá estiveram (é necessário ir mexendo), mas foi entre 01h e 01h30. O que conta é quando ficam crocantes e devidamente tostados.

Depois disso, desliga-se o forno, retira-se o tabuleiro e deixa-se arrefecer a matéria-prima.

Fica uma verdadeira delícia. Já alguém experimentou? Digam de vossa justiça.

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub