Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

Em 2016 era obeso, hoje sou maratonista (6 oficiais e quase 20 meias-maratonas). A viagem segue agora com muita dedicação, meditação, foco e crença na partilha das histórias e do conhecimeto na corrida.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub
16
Abr19

Trabalho de força dá músculo e faz correr!


João Silva

received_590745674770995.jpeg

Para que fique já registado, não tenho nada contra quem anda em ginásios nem contra os mesmos. Já frequentei um em Aveiro e não desgostei. Foi numa fase intermédia antes de ter começado esta aventura. Aguentei algumas semanas, mas depois deixei de ir. Confesso que sou muito caseiro e que, além disso, adoro fazer desporto na rua. Anima-me ver as pessoas, conhecer os seus hábitos, saudá-las com genuína alegria.

E, depois de ter começado a correr, percebi rapidamente que não teria prazer se fosse para um ginásio.

IMG_20190112_091456.jpg

Porém, era importante encontrar uma forma de fazer trabalho de reforço muscular, não só porque já tinha lido sobre a importância da musculação no fortalecimento de zonas envolvidas na corrida, como glúteos, abdominais, adutores, joelhos, etc, mas também porque o processo de perda de peso acarreta peles "soltas", caso não haja um trabalho específico.

Antes de responder a qualquer eventual comentário ressabiado sobre o facto de as "pessoas comuns" terem a "mania" de que sabem tanto ou mais do que os treinadores pessoais" e sobre o facto de autoadministrarem exercícios de reforço muscular, devo avançar que sou tradutor profissional com formação académica e não é isso que "enxota" alguns "espertos" e "curiosos" das línguas de querer fazer traduções. É algo com que temos de lidar.

IMG_20190112_092348.jpg

Mais a mais, fiz o meu trabalho de casa. O meu dossier está repleto de informações sobre os melhores exercícios para fortalecer o corpo de um corredor: desde gémeos ao core, passando pela púbis, joelhos, adutores, isquiotábicos, etc.

Portanto, como também não disponho de dinheiro a rodos para gastar em ginásios, adaptei-me. Faço o meu trabalho de campo, defino exercícios para cada dia de treino de corrida, procuro diversificar os exercícios e a abrangência e estabeleço planos de treino para um período que vai normalmente até aos 5 meses.

IMG_20190112_123300.jpg

Findo este período, procuro mais exercícios, mudo os planos para evitar habituação do corpo e lá vou a mais uma sequência. Em média, faço uma hora de reforço muscular por dia. E recorro a acessórios como bolas próprias, fitas de ginástica, garrafões de 6 l para levantamento de pesos.

Futuramente, vou voltar a esta questão para vos falar dos planos e dos exercícios específicos, bem como dos benefícios para o corpo. Para já, deixo-vos com um vídeo que compila, de forma muito sucinta, alguns dos exercícios que faço:

Estes são os "acessórios" de que disponho:

IMG_20190413_082536.jpg

IMG_20190413_082553.jpg

IMG_20190413_082602.jpg

IMG_20190413_082608.jpg

 

 

Redes sociais

Palmarés da minha vida

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Baú de corridas no blogue

Em destaque no SAPO Blogs
pub