Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

26
Abr21

1, 2, 3, uma entrevista de cada vez


João Silva

Hoje exponho uma entrevista feita a uma das pessoas mais simpáticas que encontrei na ARCD Venda da Luísa. Foi prestável desde o início, tem um sorriso contagiante e, acreditem, anda mesmo nisto pela diversão e pelo companheirismo. Tem um instinto acolhedor que salta à vista. Foi das primeiras pessoas a dizer-me que lia este espaço. Boa disposição e seriedade, no sentido de compromisso, são com ela.

E não vos deixa ficar mal. Há algum tempo, tinha ficado com uma camisola minha de prova e "perseguiu-me" de carro até um supermercado local para ma entregar.

Tenho uma estima especial por ela.

Fiquem, pois, com a Graça Simões:

FB_IMG_1611073193925~2.jpg

 

  • Nome

Graça Maria Martins Simões

  • Idade

44 anos

  • Equipa​

ARCD Venda da Luísa

  • Praticante ​de ​atletismo ​desde

Sempre gostei de desporto, mas não tive essa possibilidade quando era mais nova. Há alguns anos participava em grupos de ginástica e comecei a desafiar-me nas caminhadas , o que me começou a despertar curiosidade em experimentar a corrida, onde me iniciei em 2015.

  • Modalidade ​preferida​

Habituada às caminhadas pelo monte, foi lá que meiniciei na corrida e daí tornou-se uma paixão pelo trail. Aprecio muito a natureza e gosto de me desafiar em novos trilhos.

  • Prefere ​curtas ​ou ​longas ​distâncias

​Iniciei ​nos ​mini ​trail, ou ​seja, ​10/12 km. Atualmente participo em provas com mais de 15 km, porém ainda não tive a coragem de experimentar uma longa distância.

FB_IMG_1611073533259~2.jpg

  • Na​ ​atual​ ​equipa​ ​desde

2017

  • Volume​ ​de​ ​treinos​ ​por​ ​semana

4 / 5 (entre corrida e reforço muscular).

  • Importância ​dos ​treinos

São importantes os treinos para nos mantermos ativos e fortalecer os músculos. Desse modo, vamos alcançar o ritmo desejado nos dias das provas.

  • Se ​têm ​ou ​não ​treinador

Treinador não tenho, mas tenho colegas com que treino frequentemente. A quem eu tenho que agradecer por irem sempre a puxar por mim. Há frases que ficam nas nossas memórias como: "Aguenta Graça! " , "É isso" , "São só mais 10 metros ". A eles e a todo o grupo de treino, só tenho que agradecer a minha evolução, principalmente, nas subidas, que é onde tenho ainda alguma dificuldade. Infelizmente, devido a situação de pandemia, tivemos de fazer uma pausa nos treinos de grupo. Assim, tenho treinado sozinha. Mas claro que não é a mesma coisa!

FB_IMG_1611073098204.jpg

  • ​Diferenças entre ​o ​atletismo ​passado ​e ​atual

Como nunca pratiquei atletismo no passado, não sei a diferença, mas, pelo que tenho lido, hoje em dia há muitos mais participantes em grupos organizados.

  • História​ ​insólita​ ,​curiosa​ ​ou​ ​inédita​

Bem, nestes últimos anos não me recordo.

  • Aventura marcante

Para mim, todas as provas têm algo de marcante, pelos sítios magníficos que conhecemos, pelas amizades que fazemos nos trilhos.

FB_IMG_1611073154548.jpg

A maior aventura até hoje foi em 2019, quando o Carlos Canais me incentivou a participar no Campeonato distrital de veteranos. Sem nunca ter corrido em pista, tornei- me campeã distrital em 200 metros nesse mesmo ano.

Participação em prova mais longa

Trail de Conímbriga Terras de Sicó 25 km.

Objetivos pessoais futuros

Continuar a realizar provas curtas, desfrutar ao máximo da natureza, realizar provas em sítios diferentes. Quando me sentir preparada e com coragem, quero realizar a ultra no Sicó de 60 km. 

Como ​vê ​o ​atletismo ​daqui ​a ​5 ​anos

Daqui a 5 anos espero que muito mais gente esteja a praticar esta modalidade, não pela competição mas para promover uma vida saudável e ativa. 

Como se vê no atletismo daqui a 5 anos

​Espero daqui a 5 anos continuar a correr, participar nas provas, conhecer sítios diferentes, bem como pessoas novas e com a mesma paixão.

FB_IMG_1611392156550~3.jpg

Porque existem tão poucas mulheres a fazer atletismo e porque há tão poucas em provas de grandes distâncias

​Na minha opinião, têm vindo a aumentar. No entanto, devido ao pouco tempo que têm livre por causa das tarefas domésticas, não têm tanta disponibilidade. Como está modalidade requer bastante treino e dedicação, não há muitas a participar em provas de grandes distâncias, pois optam por curtas distâncias e caminhadas. 

FB_IMG_1611073567323~2.jpg

Existem diferenças de tratamento em relação aos homens

​Nunca dei conta de haver desigualdade entre géneros, até pelo contrário: numa prova, o percurso, a distância e o grau de dificuldade são iguais para homens e para mulheres.

 

FB_IMG_1611073595113~3.jpg

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub