Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

Em novembro de 2016 era obeso. Depois comecei a correr, eduquei a minha alimentação e tornei-me maratonista. Mais tarde, tornei-me pai. Correr é uma das minhas paixões. Ser pai é outra. Corro todos os dias.

O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista

14
Abr21

1, 2, 3, uma entrevista de cada vez


João Silva

Após um grande interregno da rubrica, em parte, pela minha falta de tempo, e, por outro lado, também por falta de respostas dos meus potenciais entrevistados, estamos de volta.

Desta feita, com uma jovem que não conheço muito bem pessoalmente, mas a quem atesto um enorme poder de companheirismo e uma fantástica vontade de correr em plena natureza. Pertence à ARCD Venda da Luísa, mas, quando entrei para a equipa, ela já estava noutra equipa. Regressou agora à casa que ajudou a fundar e que hoje já tem uma extensão invejável. Só por isso, já diria que "a boa filha à casa torna". 

A sua simpatia e espontaneidade são armas para integrar qualquer tímido. 

Fiquem, pois, com a Liliane Vaz

FB_IMG_1610147244645.jpg

 

Nome
Liliane Vaz 
 
· Idade
Daquela bela colheita de 1984 (36 anos) 
 
· Equipa
ARCD Venda da Luísa
 
· Praticante de atletismo desde
Desde 2015, com passagens em corta-mato e provas escolares (nada de muito sério e sem filiação a equipa).

FB_IMG_1610146553321.jpg

· Modalidade de atletismo preferida Trail running
 
· Prefere curtas ou longas distâncias Longas, não consigo correr muito rápido (risos). Gosto de andar lá, desfrutar e empenar.
 
· Na atual equipa desde
Pertenço à formação da equipa, em 2015. Como vivi no Algarve quase 11anos, estive uma época (2017/2018) na ATR- Associação Trail Running do Algarve e outra (2018/2019) na CDC Nave Trailrruning
 
· Volume de treinos por semana
Por norma, se tudo estiver a favor, seis dias por semana com descanso ao domingo. Os treinos, por norma, não ultrapassam os 60' exceto ao sábado, onde podem ir até 3h.
 
· Importância dos treinos
Os treinos são para nos tornarmos mais fortes! É essa a linha que pretendo seguir sempre. Ficar forte para quando vou para as empreitadas (40/100km) poder desfrutar mais e melhor sem grandes estouros ou rebentamento (risos)
 
· Se tem ou não treinador
Não tenho treinador, tenho um orientador que é chato e exigente como o raio.

FB_IMG_1610147368402.jpg

· Diferenças existentes entre o atletismo passado e atual
Não posso opinar acerca deste tema. Pratico trail há quase seis anos e posso dizer que a modalidade tem vindo a crescer, cada vez com mais atletas e curiosos, uns mais e outros menos amantes da natureza. Na juventude andei mais pelos desportos coletivos.
 
· Histórias insólitas, curiosas ou inéditas
Já fiz um "parto" durante o percurso dos 52 km dos Abutres em 2020 (risos). Ao Rui Monteiro da ARCD Venda da Luísa. Estávamos os dois na mesma distância, quando a determinada altura o encontro. Estava todo "parido" o rapaz, cheio de cãibras. Fomos juntos muito tempo, mas houve uma altura em que o gémeo desceu e pimba um parto no meio do trilho (risos). Foi do caraças pois ele estava mesmo com dores. Eu tentei ajudar e brincar com a situação para ele relaxar um pouco. Já rimos muito com esse episódio. Nas empreitadas, há sempre situações caricatas. Como ando lá muito tempo, dá para tudo.

FB_IMG_1610147448689.jpg

· Aventura marcante
Estrelaçor 2019 - 100km
 
· Participação em prova mais longa Trail Conímbriga Terras de Sicó 111km (115km) 2019
 
· Objetivos pessoais futuros Continuar na mesma linha... Treinar, participar em provas, fazer umas empreitadas. Aproveitar o que a Natureza nos dá.
 
· Como vê o atletismo daqui a 5 anos Com esta pandemia, é uma incerteza, portanto prefiro não criar expectativas.

FB_IMG_1610147405713.jpg

· Como se vê no atletismo daqui a 5 anos
A cair de podre, mas a continuar a andar pelos montes com o mesmo gosto e admiração. Bastante mais lenta, certamente (risos)
 
· Porque existem tão poucas mulheres a fazer atletismo e porque há tão poucas em provas de grandes distâncias?
Poucas mas boas! Raçudas!
 
· Existem diferenças de tratamento em relação aos homens?
Não gosto muito de tocar nesse assunto, mas ainda há por aí muitos seres do sexo masculino que se sentem incomodados com o facto de os ultrapassarmos durante uma prova. São poucos, felizmente, mas existem.

FB_IMG_1610147494370.jpg

 

Legenda das imagens fornecida pela entrevistada:

Imagem 1
5.° Trail Urbano Entre Muralhas - Castro Marim (17 Dezembro 2017) com a camisola da ATR.

Imagem 2
Eu e o Rui Monteiro no Trilho dos Abutres 2020
Fotografia de Fotos do Zé

Imagem 3
No dia que me foi apresentado o km vertical da Serra da Estrela
Fotografia João Veríssimo

Imagem 4
Estrelaçor 2019 a chegada à Torre
Este dia vai ficar para sempre guardado na minha memória, aprendi muito!
Fotografia Fotos do Zé (Sequeira)

Imagem 5
Com a camisola da CDC NAVE no Monchique Open Trail 2019

Imagem 6
Ultra Trail Douro Paiva 2018 em Cinfães
Fotografia de Matias Novo

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Redes sociais

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub